câncer de bexiga

Entenda a relação entre câncer de bexiga e tabagismo

Entenda a relação entre câncer de bexiga e tabagismo

Você sabia que o câncer de bexiga é o quarto tumor maligno que mais acomete os indivíduos do sexo masculino? Apesar de pouco ouvirmos falar sobre esta enfermidade, ela apresenta números de incidência assustadores, sendo o segundo carcinoma urológico mais frequente em pacientes que buscam diagnóstico para os seus sintomas.

Outro dado que chama atenção é que este tipo de câncer tem como principal fator de risco o tabagismo. Isso quer dizer que seu desenvolvimento está diretamente relacionado com o estilo de vida que a pessoa leva.

Outra possível causa é a exposição a substâncias derivadas do petróleo. Por isso, é uma doença que também está ligada a indivíduos que desempenham profissões específicas, como trabalhadores da indústria química, mineiros, bombeiros e cabeleireiros que trabalham com tintura.

Neste post, vamos falar sobre a relação deste carcinoma com o hábito de fumar e de como isto pode ser prejudicial principalmente para pacientes do sexo masculino. Acompanhe abaixo!

O que é o câncer de bexiga?

O principal sintoma do câncer de bexiga é a presença de sangue na urina. Outras alterações miccionais podem ser observadas conforme o tumor se desenvolve, assim como anemia e emagrecimento.

A doença acomete, em maior proporção, homens brancos acima dos 60 anos. No entanto, mulheres acima dos 70 anos também vem apresentando o problema.

O tumor pode se apresentar de três formas: superficial, quando afeta só a mucosa da bexiga; infiltrante, quando atinge áreas mais profundas do órgão; e metastático, quando se espalha para outros órgãos. Em geral, a forma metastática é a mais evoluída do processo e a com tratamento mais difícil. Por isso, é importante que o profissional de urologia seja logo procurado ao menor indício da doença.

O que o cigarro tem a ver com isso?

No último ano, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo realizou uma pesquisa com pacientes atendidos no setor de urologia. O resultado é bastante preocupante e aponta para o que queremos alertar neste artigo: o cigarro é o maior fator de risco para o desenvolvimento de câncer na bexiga.

Foi apurado que o tabagismo estava ligado a 65% dos homens e 25% das mulheres que tinham a doença no grupo de pessoas entrevistadas.

A explicação para isso está na ingestão da fumaça produzida pelo cigarro. Quando uma pessoa a inala, substâncias carcinogênicas são absorvidas pelo pulmão, vão para o sangue e acabam sendo filtradas pelos rins. A presença destes compostos na urina pode danificar a parede da bexiga causando tumoração neste órgão ao longo do tempo de prática tabagista.

A taxa de mortalidade por conta desta enfermidade é baixa, mas, de acordo com Instituto Nacional do Câncer, este número pode aumentar já que a quantidade de casos vem crescendo nos últimos anos.

Por isso, se você fuma, pode ser uma boa hora para repensar este hábito. Abandonar o tabagismo pode ser um processo difícil, pois envolve dependência física e emocional. Mas, não é impossível. Há terapias e grupos de apoio que podem ajudá-lo a largar o cigarro e, assim, ficar bem longe da possibilidade de desenvolver um problema como o câncer de bexiga.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como urologista em Goiânia!

 

Posted by Dr. Pedro Henrique Moreira in câncer de bexiga