fimose

Fimose e câncer de pênis: há alguma relação?

Fimose e câncer de pênis: há alguma relação?

Basta uma pesquisa rápida na internet para se assustar quanto a fatores de riscos que levam a sérias doenças – como é o caso da fimose em relação ao câncer de pênis, assunto deste artigo. Não à toa, os médicos especialistas na saúde do homem frequentemente recebem questionamentos sobre a relação entre essas duas condições, após pesquisas encontradas em sites de saúde nem sempre especializados e de procedência duvidosa.

Pensando em dar uma resposta à preocupação de tantos, trouxemos neste artigo a verdadeira relação entre a fimose e o câncer de pênis. Vamos conferir?

Algumas informações básicas

Antes de tudo, vamos à definição de fimose, uma condição em que o anel prepucial é mais apertado, tornando impossível o ato de puxar o orifício para colocá-lo sobre a glande peniana. Isso acaba diminuindo a exposição do órgão.

Falando agora sobre o câncer de pênis, vale o destaque de que a doença é rara em países desenvolvidos, uma vez que sua relação é quase que direta com baixas condições socioeconômicas e higienização errônea na área.

Uma das causas mais expressivas do câncer de pênis diz respeito ao acúmulo de micro-organismos (tais como bactérias e vírus) e demais componentes oleosos na glande, ou melhor, na região que fica aos arredores da cabeça do pênis. Essa secreção, conhecida pela comunidade médica como esmegma, gera uma inflamação local que altera a atividade das células, sendo este um fator de risco elevado para o surgimento de tumores no pênis. E é também daí que vem a relação entre a doença e a fimose.

Sendo assim, no caso de homens que não realizam a higiene no local corretamente, há maior risco de desenvolvimento do câncer de pênis. É provado pela comunidade médica que as crianças que logo nos primeiros anos de vida são submetidas ao procedimento cirúrgico de circuncisão, que remove a pele do prepúcio, têm chances mais baixas de desenvolver a doença.

Diante da exposição dos fatos, vamos ao esclarecimento final: o fator de risco que deve ser associado ao câncer de pênis não é a fimose, mas sim, a falta de higienização correta do pênis.

Como evitar, então, a doença?

Para diminuir os riscos de desenvolvimento de câncer de pênis, os homens devem:

  • Higienizar bem o pênis, lavando-o corretamente todos os dias;
  • Expor sempre a glande para limpá-la sistematicamente, uma vez que os micro-organismos e oleosidades sempre se acumulam na região;
  • Usar camisinha durante as relações sexuais;
  • Para homens com fimose, o recomendado é agendar a realização da postectomia, que nada mais é do que a cirurgia de tratamento da fimose, muito rápida, simples e sem complicações.

Sem mais sustos: agora você já sabe qual é a verdadeira relação entre a fimose e o câncer de pênis.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como urologista em Goiânia!

Posted by Dr. Pedro Henrique Moreira in fimose, Todos
Seu filho tem fimose? Isso não é incomum

Seu filho tem fimose? Isso não é incomum

Você sabia que grande parte dos meninos nasce com fimose? O problema pode parecer sério, mas é muito mais comum do que você pensa.

Muitas mães ficam bastante preocupadas quando percebem que o filho nasceu com esta complicação. No entanto, estudos demonstram que mais de 90% dos bebês do sexo masculino nascem com fimose e que, na maioria dos casos, o problema reduz com o próprio desenvolvimento do pênis ao longo da infância e da juventude.

Quando o problema não se resolve apenas com o desenvolvimento natural do órgão sexual masculino, o melhor caminho é procurar por um profissional de urologia para verificar qual o melhor recurso terapêutico para o caso.

Neste artigo, vamos te ajudar a entender o que de fato é a fimose, suas implicações e tratamentos. Acompanhe abaixo:

Como identificar o problema?

É preciso saber identificar corretamente este problema médico para não confundi-lo com excesso de pele em torno do pênis. A fimose acontece quando a pele que encobre a glande do pênis – o prepúcio –  possui um anel de constrição que dificulta a exposição da própria da extremidade deste órgão.

Uma forma fácil de reconhecer este quadro é puxando a pele do prepúcio para trás. Quando a cabeça do membro não pode ser exposta, então caracteriza-se a fimose.

Esta patologia possui vários graus de acordo com o nível de exposição da glande. Ela manifesta-se nos primeiros anos de vida e, quando não regride, pode trazer problemas de saúde em função da dificuldade de higienização da cabeça do órgão masculino, o que pode causar infecções e dificuldade de urinar.

Observa-se também que, em alguns casos menos frequentes, homens que apresentam este anel de conscrição muito estreito têm dificuldade miccional. Esta situação provoca a retenção da urina primeiro no prepúcio, para que depois seja expelida.

Se não resolvida na infância, a fimose pode ser levada para a vida adulta. O inconveniente causado no homem maduro é o incômodo na hora de ter relação sexual.

Como tratar?

O tratamento mais comum é a base de pomadas de uso local, o que resolve 80% dos casos. A cirurgia se faz necessária quando o tratamento tópico não resolve o problema.

Um dos grandes erros é achar que fazer manobras com a pele que encobre o pênis ajuda a retração do prepúcio. Isso pode desenvolver ferimentos locais e trazer complicações e a piora do quadro.

A higiene local é fundamental no tratamento, pois ela ajuda a prevenir processos infecciosos. Deve ser feita apenas com água e sabão neutro.

Devo submeter meu filho à cirurgia?

Há uma crença equivocada de que a cirurgia de fimose reduz a sensibilidade do pênis. O procedimento cirúrgico nesse caso só melhora a saúde do paciente. Inclusive, diminuindo o risco de infecção urinária e de doenças sexualmente transmissíveis.

Para mães com crianças com fimose, a primeira orientação é observar se o quadro não regride conforme seu filho for crescendo. Caso isso não aconteça, o melhor caminho é tratar desde cedo e ajudá-lo a lidar da melhor maneira com o problema.

Quanto mais cedo for obtido o diagnóstico, melhores serão os resultados do tratamento e menos complicada pode ser a recuperação da cirurgia de fimose, caso seja indicada. Converse com o seu urologista. Ele pode te orientar sobre qual o melhor caminho a seguir.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como urologista em Goiânia!

Posted by Dr. Pedro Henrique Moreira in fimose, Todos